quinta-feira, 5 de junho de 2008

Diferenças Tarifárias

As diferenças tarifárias nem sempre são entendidas da melhor forma pelos clientes finais das companhias aéreas. Estes, muitas vezes ficam com a sensação que pagaram mais que outros passageiros exactamente pelo mesmo serviço. Isto não corresponde exactamente à verdade, já que as tarifas têm diferentes regras e restrições. Num mesmo voo, pode haver no mesmo momento, dez tarifas diferentes com diferenças consideráveis:
  • Tempos mínimos e máximos de estadia;
  • Nº de dias de embarque em que uma classe fecha à venda (Advanced Purchase);
  • Possibilidade de alteração de datas e voos, sem ter de pagar uma Change Fee;
  • Possibilidade de cancelamento após compra (sem reembolso ou com reembolso total / parcial);
  • Possibilidade de confirmação de outro voo, se o passageiro perder o avião;
  • One-Way (apenas ida) ou Round Trip (ida + regresso).
Quanto menos restritiva for a tarifa, maior será o seu valor. Por exemplo, uma tarifa que permita a ida e volta no mesmo dia, será necessariamente mais cara. A segmentação é a ideia chave deste tipo de gestão, na medida em que esta está assente na existência de uma base de clientela com perfis muito distintos e com elasticidades de preço diferentes.

A prática de diferentes tarifas para uma clientela que recebe teoricamente o mesmo serviço base, é de complicada justificação para o cliente comum. Daí que, cada vez mais, faça sentido criar serviços diferenciadores que justifiquem as diferenças de preços.

Um consumidor não procura apenas um suplemento de serviço, cujo custo para a empresa esteja em relação com o complemento que ele paga, mas contenta-se com sinais demonstrativos de um tratamento diferente (um sumo de laranja ou um aperitivo para a classe que paga uma tarifa superior num avião).

Sem comentários: